Nossos votos


Queridos amigos e parceiros,

Estamos encerrando 2011 em clima de comemoração, de conquistas e de novos projetos. Gostaríamos de compartilhá-los com todos que, de alguma forma, contribuem para o sucesso de nossas ações.

Primeiro festival internacional de arte contemporânea do país, o 17º Videobrasil registrou um recorde de 300 mil visitantes e de 90 mil atendimentos da curadoria educativa nas mostras Panoramas do Sul e Olafur Eliasson – Seu corpo da obra.

Também serviu de plataforma para duas iniciativas vitoriosas: o programa Videobrasil no SESCTV, que lança a ideia da utilização de nossos conteúdos na televisão; e o Ateliê Aberto Videobrasil, que comissionou obras realizadas em residência na Casa Tomada.

Olafur Eliasson – Seu corpo da obra foi eleita pela Associação de Críticos de Arte de São Paulo a mostra de artes visuais mais importante do ano. Ainda este ano, chega às livrarias e lojas do SESC o livro que integra a exposição. Em 2012, lançamos o filme em que o cineasta Karim Aïnouz relê a obra de Eliasson.

O Festival prossegue com a exposição de Eliasson nos SESCs Pompeia e Belenzinho (até 29.1) e na Pinacoteca do Estado (até 8.1). Mas suas reverberações se estendem.

Três dos artistas contemplados com prêmios de residência na mostra Panoramas do Sul começam seus intercâmbios no primeiro semestre de 2012: Carla Zaccagnini (pARTage, Ilhas Maurício); Dirceu Maués (WBK Vrije Academie, Holanda); e Claudia Joskowicz (Instituto Sacatar, Itaparica, BA).

A Exposição Itinerante Panoramas do Sul 2012-2013, que reúne as obras premiadas e os trabalhos comissionados pelo 17º Festival, começa a circular em março, percorrendo as unidades do SESC no interior de São Paulo, e segue com paradas em capitais brasileiras e internacionais.

Nosso principal projeto para 2012 é a primeira retrospectiva brasileira da obra do artista britânico Isaac Julien. A exposição se alinha às mostras de artistas referenciais produzidas antes pelo Videobrasil, e dedicadas à francesa Sophie Calle (2009) e ao alemão Joseph Beuys (2010).

Encerramos 2011 com duas alegrias: o lançamento do Caderno SESC_Videobrasil 7 – A Revista; e a conquista de um Prêmio Jabuti pelo livro Joseph Beuys – A revolução somos nós, segundo lugar entre os melhores livros de arte de 2010.

Nossos agradecimentos ao SESC e à Electrica Cinema e Vídeo, parceiros fundamentais, e a todos os que prestigiaram nossas ações, exposições e publicações em 2011, contribuindo para torná-las significativas e relevantes. Desejamos a todos um 2012 igualmente cheio de realizações e conquistas.

Solange Farkas e equipe

A Associação Cultural Videobrasil estará em recesso do dia 23.12.2011 ao dia 4.01.2012.

VB na TV hoje: a arte contemporânea como terreno de formação da cidadania

Inspirada nos temas dos Seminários Panoramas do Sul, a série de três programas reúne ensaios audiovisuais que ampliam as reflexões em torno do sistema artístico contemporâneo no contexto do circuito geopolítico sul do mundo. O programa desta noite abordará a arte como terreno de formação do cidadão.
Às 22h, no SESCTV. Sintonize: Sky – Canal 3 NET Digital – Canal 137 (SP e RJ) OI – Canal 28 (DTH). Saiba mais sobre a programação e conheça a grade completa VB na TV.

17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil: Panoramas do Sul recebe 100 mil visitantes

Apresentando destaques da produção recente do Sul global (América Latina, África, Europa do Leste, Oriente Médio, Ásia e Oceania), a exposição de arte contemporânea Panoramas do Sul chega ao fim no dia 11 de dezembro, no SESC Belenzinho, contabilizando mais de 100 mil visitantes. Número duplamente significativo, já que a mostra dá protagonismo a uma produção fora do eixo econômico e culturalmente hegemônico do planeta e acontece numa região da cidade carente de espaços para as artes visuais, em um local com afluxo de públicos com os mais variados perfis.

Com 101 artistas participantes, provenientes de mais de 50 países, a mostra competitiva Panoramas do Sul se afirma como uma plataforma privilegiada de divulgação da arte do eixo sul. Os trabalhos premiados servem como indicativo de rumos dessa produção: se o grande premiado, o libanês Akram Zaatari (Tomorrow everything will be alright, 2010), tem reconhecida uma trajetória de dedicação à linguagem em vídeo, os demais premiados apontam para estratégias diversas.

Temas profundamente humanos emergem na cartografia emocional da israelense Moran Shavit (Exploring, 2010), no testemunho poético da indiana Natasha Mendonca (Jan Villa, 2010) e na crítica política do chinês Liu Wei (Unforgettable Memory, 2009). Investigações formais aparecem na subversão narrativa da boliviana Claudia Joskowicz (Round and round and consumed by fire, 2009), nas “pré-esculturas” de Adriano Costa (Tapetes, 2010), no olhar renovado de Dirceu Maués sobre o cotidiano (Em um lugar qualquer – Outeiro, 2009) e no discurso fragmentário do argentino Sebastián Diaz Morales (Oracle, 2009). Os impactos e sentidos da ação humana emergem em trabalhos como o de Eder Santos (Pilgrimage, 2010), na imbricação entre as dimensões natural e cultural em obra de Carla Zaccagnini (Bravo-Radio-Atlas-Virus-Opera, 2010), nas relações entre arte e indústria pelo olhar de Milton Machado e Cacá Vicalvi (Vermelho, 2009) ou ainda nas fantásticas lucubrações de Gabriel Mascaro (As aventuras de Paulo Bruscky, 2010).

Domingo, dia 11.12, é o último dia para conferir estas e outras 90 obras que integram Panoramas do Sul. Veja aqui o serviço completo.

Este sábado: última mesa dos Seminários Panoramas do Sul analisa publicações


Os Seminários Panoramas do Sul discutem particularidades da produção e da difusão de arte nas diversas regiões do eixo geopolítico Sul – América Latina, Europa do Leste, África, Oriente Médio e Oceania – e integram a curadoria educativa do 17º Festival. A mesa final, Intenções editoriais: quem lê e quem escreve, para quê, discute a produção impressa dedicada à arte contemporânea no dia 10.12. Durante o debate, a editora pernambucana Clarissa Diniz apresenta o projeto da revista brasileira Tatuí; e Luisa Ungar e Nadia Moreno falam do projeto experimental colombiano Asterico. Com mediação de Fernando Oliva, a mesa conta ainda com a participação de Miguel López escritor, artista e pesquisador peruano, e da psicanalista e ensaísta Suely Rolnik.

Os Seminários acontecem no SESC Belenzinho, Sala de Espetáculos 2, com ingressos à venda em toda a Rede SESC. As mesas têm transmissão ao vivo pelo Fórum Permanente. Após a mesa, o editor Rodrigo Moura apresenta o projeto do Caderno SESC_Videobrasil 7.

Caderno SESC_Videobrasil 7 é lançado

Com edição do curador Rodrigo Moura, a sétima edição do Caderno SESC_Videobrasil, A Revista, reúne fragmentos de revistas brasileiras de arte e cultura dos anos 1920 a 1990, além de trabalhos de artistas e escritores que, de alguma maneira, comentam esse formato de publicação. Publicado anualmente, o Caderno se dedica a refletir sobre temas pertinentes à produção artística contemporânea. Face ao atual panorama de aceleração e transformações nos meios de comunicação, a sétima edição pretende retomar o caráter simbólico e físico da revista, menos para reafirmá-lo e mais para desconstruí-lo e testar seus limites. Com projeto gráfico da artista e designer Marilá Dardot, o Caderno 7 toma seu título emprestado à célebre publicação mineira A Revista, fundada em 1930 por Carlos Drummond de Andrade e Emílio Moura. Dos recortes de revistas que tiveram importante papel na demarcação de um território para as artes no Brasil, como GAM, Módulo e Arte em Revista, ressurgem obras e textos de Helio Oiticica a Lina Bo Bardi, de Nelson Leirner a Rubem Braga.
Nove colaboradores foram convidados a pensar projetos específicos para a publicação: Arnaldo Antunes, Rivane Neuenschwander, Fabio Morais, Jorge Macchi, Claudia Andujar, Ana Martins Marques, Cildo Meireles, Eduardo Costa e Erika Verzutti. Páginas, notícias e formatos típicos de revistas e jornais inspiram boa parte das colaborações.
“A ideia de estabelecer relações entre os trabalhos destes artistas e escritores e a mídia revista, também buscando aproximar a linguagem escrita e visual, de forma a compor uma espécie de exposição nas páginas da publicação, motiva os convites”, explica Rodrigo Moura. O Caderno será lançado dia 10.12, no SESC Belenzinho, após o debate Intenções editoriais: quem lê e quem escreve, para quê, que discute o papel das publicações na promoção de expressões artísticas no âmbito do Sul global (América Latina, Europa do Leste, África, Oriente Médio, Ásia e Oceania). A mesa fecha os Seminários Panoramas do Sul, que integram a programação educativa do 17º Videobrasil.

Abaixo, veja a íntegra do debate organizado por Adriano Pedrosa na Art Basel Miami Beach no último dia 02, quando Rodrigo Moura comentou o Caderno 7:

17º Festival: a arte como
o contrário do tédio

http://vimeo.com/29780354

Criada pela agência F/Nazca&Saatchi, a campanha de difusão do Festival parte da ideia da arte como uma dimensão diametralmente oposta ao cotidiano anestesiante. A arte leva à reflexão, cria deleite e incômodos, abala o entendimento da realidade e aprofunda sua compreensão. E como a arte, hoje, não deixa de se relacionar com outros campos de saber e ação, pedimos a Olafur Eliasson e aos artistas do 17o Festival que indicassem páginas na internet capazes de criar uma experiência inusitada no seu cotidiano digital. Clique aqui para escapar do tédio.

17º Festival inaugura mostras hoje

As exposições que compõem o 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, Panoramas do Sul, uma representativa amostra da produção artística de países do eixo geopolítico Sul (América Latina, África, Europa do Leste, Oriente Médio e Oceania), e Seu corpo da obra, de Olafur Eliasson, são inauguradas na noite de hoje, em evento para convidados. A partir das 21h, performances integrantes da mostra serão apresentadas no SESC Belenzinho (vide notícia neste blog), onde está a coletiva internacional, que este ano conta com 101 obras dispostas em um percurso surpreendente ao longo da grande Área da Convivência e do 1º andar da unidade, além dos eventos que ocupam sua Sala de Espetáculos. Fique por dentro das datas e locais das mostras e atividades nas seções Serviço e Agenda.

Seminários Panoramas do Sul:
ingressos à venda

Estão à venda os ingressos para os quatro encontros da série Seminários Panoramas do Sul, que integra a Curadoria Educativa do 17º Festival. Os Seminários examinam peculiaridades da produção e da difusão de arte no eixo geopolítico Sul. “A organização dos Seminários ao redor de quatro temas – formação, redes, curadoria e publicações – permite analisar de maneira ampla as especificidades desse circuito e complementa com reflexão o trabalho de incentivo e difusão da mostra Panoramas do Sul”, diz Solange Farkas, curadora-geral do Videobrasil.

As duas primeiras mesas acontecem no dia 24.9. Das 10h30 às 12h30, Solange Farkas apresenta o projeto curatorial do Festival. Das 14h às 18h, os coordenadores do Seminário, Valquíria Prates e Marcio Harum, discutem práticas artísticas e curatoriais com foco na formação da cidadania, na mesa A arte como terreno de formação do cidadão. O debate é construído em torno de projetos apresentados pela artista Tania Bruguera e pela curadora Paola Santoscoy. Participam o artista Luis Camnitzer e os curadores Marcos Moraes, Fernando Oliva, Eduardo de Jesus e Janaina Melo.

As mesas subsequentes, A instituição à margem das redes de arte (29.10), Hipóteses para o Sul (19.11) e Intenções editoriais: quem lê e quem escreve, para quê (10.12), têm a participação de curadores como Lisette Lagnado, Adriano Pedrosa, Olu Oguibe, Bisi Silva, Pablo León de la Barra, Cristiana Tejo e María Inés Rodríguez, e os críticos Clarissa Diniz, Cristina Freire, Luisa Ungar e Nadia Moreno, e Miguel López.

Os preços dos ingressos para os Seminários são: R$ 8 (inteira); R$ 4 (usuário matriculado; maiores de sessenta anos, estudantes com comprovante e professores da rede pública de ensino); e R$ 2 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo, matriculados e dependentes). Os seminários contam com transmissão online (ao vivo) pelo Forum Permanente.