Este sábado: última mesa dos Seminários Panoramas do Sul analisa publicações


Os Seminários Panoramas do Sul discutem particularidades da produção e da difusão de arte nas diversas regiões do eixo geopolítico Sul – América Latina, Europa do Leste, África, Oriente Médio e Oceania – e integram a curadoria educativa do 17º Festival. A mesa final, Intenções editoriais: quem lê e quem escreve, para quê, discute a produção impressa dedicada à arte contemporânea no dia 10.12. Durante o debate, a editora pernambucana Clarissa Diniz apresenta o projeto da revista brasileira Tatuí; e Luisa Ungar e Nadia Moreno falam do projeto experimental colombiano Asterico. Com mediação de Fernando Oliva, a mesa conta ainda com a participação de Miguel López escritor, artista e pesquisador peruano, e da psicanalista e ensaísta Suely Rolnik.

Os Seminários acontecem no SESC Belenzinho, Sala de Espetáculos 2, com ingressos à venda em toda a Rede SESC. As mesas têm transmissão ao vivo pelo Fórum Permanente. Após a mesa, o editor Rodrigo Moura apresenta o projeto do Caderno SESC_Videobrasil 7.

Caderno SESC_Videobrasil 7 é lançado

Com edição do curador Rodrigo Moura, a sétima edição do Caderno SESC_Videobrasil, A Revista, reúne fragmentos de revistas brasileiras de arte e cultura dos anos 1920 a 1990, além de trabalhos de artistas e escritores que, de alguma maneira, comentam esse formato de publicação. Publicado anualmente, o Caderno se dedica a refletir sobre temas pertinentes à produção artística contemporânea. Face ao atual panorama de aceleração e transformações nos meios de comunicação, a sétima edição pretende retomar o caráter simbólico e físico da revista, menos para reafirmá-lo e mais para desconstruí-lo e testar seus limites. Com projeto gráfico da artista e designer Marilá Dardot, o Caderno 7 toma seu título emprestado à célebre publicação mineira A Revista, fundada em 1930 por Carlos Drummond de Andrade e Emílio Moura. Dos recortes de revistas que tiveram importante papel na demarcação de um território para as artes no Brasil, como GAM, Módulo e Arte em Revista, ressurgem obras e textos de Helio Oiticica a Lina Bo Bardi, de Nelson Leirner a Rubem Braga.
Nove colaboradores foram convidados a pensar projetos específicos para a publicação: Arnaldo Antunes, Rivane Neuenschwander, Fabio Morais, Jorge Macchi, Claudia Andujar, Ana Martins Marques, Cildo Meireles, Eduardo Costa e Erika Verzutti. Páginas, notícias e formatos típicos de revistas e jornais inspiram boa parte das colaborações.
“A ideia de estabelecer relações entre os trabalhos destes artistas e escritores e a mídia revista, também buscando aproximar a linguagem escrita e visual, de forma a compor uma espécie de exposição nas páginas da publicação, motiva os convites”, explica Rodrigo Moura. O Caderno será lançado dia 10.12, no SESC Belenzinho, após o debate Intenções editoriais: quem lê e quem escreve, para quê, que discute o papel das publicações na promoção de expressões artísticas no âmbito do Sul global (América Latina, Europa do Leste, África, Oriente Médio, Ásia e Oceania). A mesa fecha os Seminários Panoramas do Sul, que integram a programação educativa do 17º Videobrasil.

Abaixo, veja a íntegra do debate organizado por Adriano Pedrosa na Art Basel Miami Beach no último dia 02, quando Rodrigo Moura comentou o Caderno 7:

Caderno SESC_Videobrasil 7
na Art Basel Miami Beach

A Art Basel Miami Beach, uma das mais importantes feiras de arte do ocidente, recebe um número recorde de galerias brasileiras em 2011. O curador Rodrigo Moura estará no evento para apresentar o Caderno SESC_Videobrasil 7, que editou a convite do Videobrasil, em debate organizado pelo curador Adriano Pedrosa, no dia 2.12, no Art Salon / Miami Beach Convention Center. O debate marca o lançamento de uma publicação especial, editada por Pedrosa, dedicada aos 35 anos da ArtNexus, com textos sobre arte contemporânea brasileira publicados na revista norte-americana. Revistas de arte latino-americanas são o tema. Rodrigo Moura fala do Caderno, centrado em questões invocadas pelos periódicos brasileiros de arte desde os anos 1920. O evento integra o projeto Brasil Arte Contemporânea, criado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT) para promoção e apoio às instituições brasileiras na feira.

Prêmio Jabuti: edição dedicada a Beuys é premiada

Em entrega realizada ontem na Sala São Paulo, Joseph Beuys – A revolução somos nós recebeu o segundo prêmio na categoria Artes do Prêmio Jabuti. O livro, publicado pelo Videobrasil e Edições SESC, foi organizado por Solange Farkas e Antonio D’Avossa por ocasião de exposição homônima realizada pelo Videobrasil no SESC Pompeia de setembro a novembro de 2010, com itinerância pelo MAM de Salvador, de novembro de 2010 a fevereiro de 2011. Com mais de 200 obras criadas de 1964 a 1986, entre cartazes, múltiplos e vídeos, a produção apresentada corresponde a um período de intensa atividade de Beuys, constituindo um panorama significativo da complexa articulação de referências teóricas, que vão do cristianismo à antroposofia, de uma obra referencial para a compreensão da arte atual. Este é o primeiro reconhecimento da produção editorial do Videobrasil pelo Prêmio Jabuti, o mais importante prêmio literário do Brasil. O prêmio principal da categoria foi conferido a Os Satyros, publicação da Imprensa Oficial dedicada ao grupo de teatro paulistano, e o terceiro lugar foi de Paisagens críticas/Robert Smithson: arte, ciência e indústria, de Nelson Brissac Peixoto (Educ, Senac, Fapesp). O livro Joseph Beuys – A revolução somos nós pode ser adquirido nas lojas da rede ou na loja virtual SESC.

Networked: reflexão internacional sobre redes colaborativas

Nos dias 26 e 27 de novembro, Ana Pato, diretora de projetos do Videobrasil, acompanhará o Networked: dialogue & exchange in the global art ecology, encontro que acontece no Bloomberg Space, em Londres. O evento reúne agentes das artes de mais de 40 países para debater a crescente importância das redes de diálogo e cooperação na produção e difusão artística mundial. Entre os 45 palestrantes estão o artista britânico Sir Anthony Caro, Ana Tomé, diretora do Centro Cultural da Espanha na Cidade do México, e os curadores ingleses Paul Goodwin e Charles Esche. O evento é promovido pela Triangle, uma rede internacional de artistas, curadores, organizadores e pesquisadores dedicados à reflexão e intercâmbio de idéias inovadoras sobre o sistema da arte contemporânea.

Olafur Eliasson em encontro
em São Paulo

Ao lado de sua produção artística, Olafur Eliasson mantém intensa atividade docente no Instituto de Experimentos Espaciais (iFREX), órgão criado e dirido pelo artista há dois anos, em associação com a Universidade das Artes de Berlim (Universität der Künste). Sua abordagem transdisciplinar estabelece relações teóricas e práticas entre artes e ciências. Amanhã, em encontro público no Instituto Goethe de São Paulo, Eliasson irá discutir temas como a formação do artista, metodologias de ensino da arte e o sentido do trabalho artístico na contemporaneidade. O evento conta também com a participação da curadora Lisette Lagnado, professora da Faculdade Santa Marcelina, do professor do departamento de artes plásticas da ECA-USP Mario Ramiro e do jornalista e professor da PUC-SP Fábio Cypriano. As vagas para o encontro estão esgotadas, mas haverá transmissão on-line pelo Fórum Permanente.

Olafur Eliasson no Instituto Goethe
Rua Lisboa, 974 | São Paulo
Dia 24.11, às 12h